Tabagismo Parte 2


 

Tabagismo é considerado como principal causa evitável de doenças, invalidez e morte prematura.
Não existe cigarro inócuo, ou seja, nenhum cigarro é bom. O cigarro artesanal (conhecido como porronca, palheiro, fumo de corda ou cigarrinho) é mais forte que o cigarro industrializado na proporção de 1 porronca fumada equivale a 3 cigarros comuns fumados.

O cigarro industrializado ou comum encurta a vida do tabagista em média em 3 anos por aumentar as mortes por doenças cardiovasculares como infarto agudo do miocárdio e AVEs (derrame cerebral). Tanto o charuto como o cachimbo ocasionam mais câncer de boca e orofaringe que o cigarro comum. Segundo o INCA uma sessão de uma hora de Narguilé equivale a 100 cigarros fumados.

Cigarros de maconha apresentam 50% a mais de alcatrão (substância cancerígena) que o cigarro comum. Cigarros eletrônicos ou e-cigarros tem composição exata desconhecida e liberam nicotina, FDA e OMS alertam que e-cigarros contém agentes cancerígenos e não há evidências de que ajudam na cessação do tabagismo.